283. Bolo de canela e noz moscada

Eu gostaria de ter dado um nome melhor para essa receita, já que ficou parecendo meio sem graça. Mas eu prometo a vocês que esse bolo é tudo menos sem graça. É o bolo de canela e noz moscada perfeito para um café à tarde e o melhor: a receita funciona.

Antes, deixa eu contar um pouco de onde ela veio.

A history of food in 100 recipes

Eu comprei o livro A history of food in 100 recipes em 2013, em uma viagem pelo Canadá. A ideia do livro é fantástica: o autor, William Sitwell, escolheu cem receitas desde o primeiro relato de pão, no Egito antigo, 1958A.C., até 2011 e conta a história de cada uma delas. Algumas mal tem material suficiente, por isso não dá para você cozinhar o livro inteiro, mas as histórias são super interessantes.

Ele estava só decorando a estante até hoje, quando me deu vontade de procurar alguma coisa para fazer. Normalmente, eu uso aqueles adesivos de marcação de livros em todas as receitas que me interessam, mas esse ainda não tinha nenhum. Folheando, quatro anos depois da compra, caí nessa receita e tive que sair para comprar os ingredientes na mesma hora. No mesmo dia, comecei a ler, de fato, o livro inteiro.

Bolo de canela e noz moscada

Essa é a receita número 74, de 1945. Eu ainda não cheguei nela, na leitura, mas me adiantei e li esse capítulo só para poder cozinhar este bolo e contar para vocês.

Simples e gostoso <3

Esse bolo foi tirado de O livro de Pantagruel, de Bertha Rosa Limpo. A autora moçambicana na verdade foi um grande nome da ópera em Lisboa, mas colecionou receitas a vida inteira, formando um caderno invejável. Um dia, decidiu lançar um livro de receitas e testou todas elas antes. O livro se tornou um dos principais de Portugal – um relato de uma era gastronômica do país. Além das comidas, ela ensinava dicas práticas, como usar os equipamentos de cozinha, por exemplo. A filha dela, Maria Manuel Limpo Caetano é quem ficou responsável pelas edições seguintes, e, hoje, O livro de Pantagruel tem cerca de cinco mil receitas, do mundo inteiro. Todas elas foram testadas pela família antes de publicadas.

Isso é importante, porque não é difícil encontrar receita sem pé nem cabeça que não funcionam. Desde que li os ingredientes, vi que prometia dar certo e foi impecável. Isso não quer dizer que eu não tenha dado os meus toques, né, porque eu sempre mudo alguma coisa. Também adicionei algumas coisas que o livro (diretão que é) não traz, como o tempo de forno. De nada. 😉

Nota da cozinheira: Eu não tinha limões em casa, por isso usei raspas de uma laranja. Ficou divino, por isso você pode escolher o que usar.

Olha essa manteiga derretendo, gente!

Ingredientes:

  • 250g de farinha de trigo (misturei 4 colheres de sopa de farinha de amêndoas dentro desses 250g)
  • 200g de açúcar mascavo (a quantidade original era 250g, mas não precisa)
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 200ml de leite
  • 2 colheres de chá de fermento em pó
  • canela em pó
  • noz moscada ralada na hora
  • raspas de 1 laranja (ou limão)

Como fazer:

Primeiro, bata a manteiga e o açúcar mascavo até misturar bem. Misture a clara e a gema em um pote separado e adicione à batedeira. Bata bastante, até essa mistura começar a clarear. Adicione canela em pó, noz moscada ralada e as raspas da laranja.

A receita dessa livro não diz a quantidade desses dois temperinhos, por isso foi no olhômetro mesmo. A canela eu devo ter usado meia colher de chá e a noz moscada, menos que isso, lembrando que o sabor da noz moscada é bem forte.

Adicione leite e farinha aos poucos, alternando. Aqui vale lembrar que eu usei 4 colheres de sopa de farinha de amêndoas, que eu acho mais gostosa, mas essa medida já está dentro das 250g de farinha (usei um copo medidor, coloquei as quatro colheres de sopa de amêndoas e depois completei com farinha de trigo comum).

Por fim, bata o fermento à massa.

Transfira essa massa para uma forma untada. Usei uma forma de pão de alumínio e untei bastante para não grudar. Asse em fogo baixo por aproximadamente 40 minutos. Faça o teste do garfo para ter certeza que já pode tirar do forno (o garfo tem que sair limpinho).

Espere esfriar um pouco antes de tirar da forma, para evitar que ele se desmanche. Esse bolo é bem fofinho, tipo bolo de vó, e a noz moscada faz toda a diferença.

Bolo de canela e noz moscada depois de pronto

Enquanto ainda estiver morninho, coma com manteiga derretendo por cima, uma perdição!

Fiquei tão, mas tão feliz de ter encontrado essa receita! É que eu achava que nunca ia cozinhar nada desse livro e acabei caindo de cara em uma comfort food daquelas! Essa receita é para não perder nunca mais!

Para comprar:

Clique na foto para ver o livro na Amazon.com.br

Written by

Leave a Reply