Como cuidar do seu kefir

Vou fazer uma pausa hoje no meu périplo pelo “pão que não é pão” perfeito para ensinar vocês a cuidar da sua mudinha de kefir.

Este mês, eu doei a minha primeira mudinha e vi que, junto com ela, devia ter escrito um manualzinho de como cuidar desses probióticos lindões. É muito fácil, mas você tem que saber o que está fazendo, para não arriscar matar os seus bichinhos. Agora, que eu já sei disso, posso doar minhas mudinhas com um link para o blog e pronto, muito mais fácil. 😉

Antes de tudo, vamos à pergunta mais básica:

Mas, Carol o que é kefir?

Eu não sou médica, gente, então vale lembrar que eu estou repassando as informações que eu pesquisei e que me passaram. Mas, basicamente, o que você precisa saber é que o kefir do leite é uma colônia de bactérias. Elas fermentam o leite formando um iogurte probiótico, ajudando a digerir a lactose e trazendo uma série de benefícios para a saúde, além de vitaminas e minerais. Os defensores do kefir listam um monte de coisas boas, desde melhora do sistema imunológico até o funcionamento do intestino. Não sei quantos desses benefícios são comprovados cientificamente, por isso, vou deixar para você fazer o teste e ver se funciona para você. Eu gosto muito para substituir o iogurte industrializado por uma versão mais natural.

Na primeira foto, os grãozinhos; na segunda, o iogurte

Tem gosto de quê?

O gosto lembra muito o iogurte natural, mas ele é ainda mais ácido. Muitas pessoas só conseguem comer depois de misturar com mil coisas. Eu tenho a minha receitinha “perfeita” que é 1 colher de sopa de maple syrup + granola. Aos poucos você vai se acostumando com o gosto e diminuindo a quantidade de açúcar. Ele pode ser usado ainda em molhos e doces, é só dar uma caçada nas receitas na internet.

Tem contraindicações?

Não encontrei uma contraindicação clara, mas pode não ser bom para quem tem doenças hepáticas e intolerância à lactose, mesmo que ele “se alimente” da lactose do leite. Mesmo assim, já encontrei pessoas com intolerância que se davam bem com kefir, porque a quantidade é muito menor que a lactose do leite. Para mim, fico bem se comer o iogurte até duas vezes por semana, mas quando experimentei comer duas vezes por dia, aumentou a minha gastrite, por ser muito ácido.

Como eu consigo uma muda?

As mudas são sempre doadas, não precisa procurar venda na internet. Se você caçar grupos no Facebook vai encontrar um monte de gente doando. Eu tenho quase que uma listinha, esperando as minhas mudas crescerem o suficiente para dividir de novo.

Olha só como as mudinhas crescem em pouco tempo

 

Já consegui a minha muda, como cuido dela?

Agora sim, vamos ao passo a passo.

A primeira coisa que você precisa entender é que o kefir tem dois estágios:

  1. Fora da geladeira, com leite – ele vai fermentar o leite e transformar em iogurte
  2. Dentro da geladeira, com iogurte – ele vai “descansar”, sem fermentar, com o iogurte já pronto

As suas mudas provavelmente vão chegar já com o iogurte pronto. Se você estiver sem tempo, coloca na geladeira. Quando tiver tempo, troque o leite:

  • Transfira todo o conteúdo para uma peneira de plástico com buraquinhos grandes o suficiente para passar iogurte (mas não os grãos) com um pote embaixo. Use uma colher de plástico ou silicone para ajudar a passar o iogurte;
  • Quando sair tudo, ou praticamente tudo, lave os grãozinhos delicadamente na peneira;
  • Aperte delicadamente para tirar o excesso de água e transfira eles para um pote de vidro limpo (pode ser o mesmo, se você tiver lavado ele – eu prefiro guardar em pote de vidro);
  • Complete o vidro com leite integral com lactose (pode ser frio ou na temperatura ambiente, tanto faz);
  • Deixe fora da geladeira, destampado, por 24h (eu cubro com um papel toalha para evitar cair poeira).
  • O iogurte que saiu da peneira você pode guardar em outro pote, na geladeira, e está pronto para consumo.
  • Depois de 24h, quando a nova leva estiver pronta, você pode repetir todo esse processo, ou então fechar o pote com a tampa e levar à geladeira.
  • Ele fica bem na geladeira por uma semana (já deixei até duas, e deu tudo certo).
Pote para doação e o meu potinho oficial

Quanto mais vezes você fizer esse processo, mais os grãozinhos vão se reproduzir e maior vai ficar a sua “colônia”. Quando tiver duplicado de tamanho, já dá para dividir em dois potes e doar um deles para um amigo! 😉

Written by

Leave a Reply