250. Missoshiru com bifum

Foi quando eu era criança que começamos a frequentar restaurantes japoneses. Na verdade, um restaurante só, porque Macaé não tinha mais do que um naquela época. Como a maioria das pessoas que entra no mundo das comidas “nipo-sino-brasileiras”, começamos de leve. Um yakissoba aqui, um rolinho primavera ali e isso durou muito tempo. Muito mesmo, até que a gente chegasse aos hot philladelphias e, finalmente, aos sushis e sashimis.

Em algum lugar aí no meio, provei um missoshiru. O que não fazia muito sentido, porque fui eu quem escolhi o missoshiru, e eu devia ter uns dez anos na época. E sopa não é muito coisa de criança pedir, né? Alguma coisa no missoshiru me chamou, o que levou a um bolinho de arroz com recheio de missô, o que me levou a amar muitão essa pasta de soja estranha que você compra em balde no mercado. O missô (ou miso) é feito a partir da fermentação da soja, da cevada e do arroz. É uma pasta beeeem salgada, que faz essa sopinha deliciosa. A sopinha, em si, é tão, mas tão, fácil de fazer, que é o meu principal jantar durante a semana.

Outro dia, do alto da minha dieta (ou pelo menos de uma tentativa de comer coisas mais saudáveis), resolvi trocar o macarrão por gluten-frees e me deparei com o bifum. Este último nada mais é do que macarrão de arroz. A diferença é que, ao contrário da massa de trigo, o bifum não tem glúten, logo, um pouco mais saudável.

E se eu misturar o missô com o bifum?!

Joguei no Google, no Pinterest e tudo mais, porque não era possível que ninguém tivesse tentado isso ainda. A ideia não é nova, mas a quantidade de receitas na web não era tão grande assim. Maaaas, estou aqui para ajudar quem quiser se aventurar na sopinha japa!

Ainda mais nesse friozinho mara que resolveu fazer esses dias, hein…

Ingredientes:

1 pote de água (a quantidade de sopa para uma pessoa)
1/2 cenoura
1 alho poró
um ramo de cebolinha
1 colher de sopa de pasta de missô
azeite

 

Como fazer:

Primeiro, pique tudo o que você vai precisar, para agilizar a sua vida mais tarde: o alho poró, a cebolinha e a cenoura. Você pode usar um mundo de legumes e vegetais, esses são os que eu tenho sempre em casa.

Refoguei o alho poró em azeite (dá para ver na foto que eu exagerei no azeite, não precisa fazer igual a mim, ok?), e depois adicionei a cenoura para refogar.

Em seguida, coloque a água (eu meço no próprio potinho que eu vou comer depois, para ter ideia da quantidade).

Enquanto a água esquenta, é hora de fazer o bifum, em outra panela!

O bifum é bem delicado, por isso, use uma panela grande com bastante água para acomodar toda a massa. Não quebre! Assim como o espaguete italiano, ele deve ficar inteiro.

Volta para a primeira panela! Assim que começar a ferver, desligue o fogo e dissolva uma colher de missô. Adicione a cebolinha picada e cubra!

Quando o bifum estiver pronto, é só escorrer e misturar à sopinha de missô!

 

Parece muita coisa, já que suja duas panelas, mas eu juro que é muito rápido de se fazer! Sugiro levar hashis E uma colher para comer, porque, né? É sopa, mas é macarrão…

Se quiser fazer para duas pessoas, é só aumentar as quantidades. Eu costumo usar uma colher de sopa de missô por pessoa.

Written by

3 comments / Add your comment below

  1. Adriana, hoje em dia eu encontro fácil no mercado. Pode ser em Hortifruti, mas também no mercado comum. Vem em um pote de plástico tipo margarina e geralmente fica na área de produtos orientais.

Leave a Reply